top of page

"Tudo está na sua mente, inclusive o seu futuro", diz J.Marins

Atualizado: 31 de out. de 2019


"Possibilidades de Conhecimentos sem Fronteiras. Algo novo vem explodindo todas as formas, sistemas, preceitos e metodologias tradicionais relacionados com o ensino e como ele vem sendo apresentado. Essa nova maneira dinamitadora de ensinar, tem objetivos claros, e visa potencializar o humano para que compreenda o poder que tem no interior do seu cérebro. Isso com certeza, é a aplicação da neuroeducação, matéria que pesquisa como o cérebro aprende e desenvolve as capacidades", diz J. Marins, em sua obra Ciência da Liberdade, base do Movimento Libertologia.

Para ele, a maior contribuição da neuroeducação significa que o cérebro precisa ser motivado, praticamente reprogramado; o cérebro necessita se emocionar para aprender, e a partir daí, multiplicar as chances de êxito e sucesso da pessoa em qualquer atividade, desde as relações pessoais até as complexas interações profissionais.



Segundo J. Marins, que criou os métodos de treinamento 10 Minutos e LivreMente, desde alguns anos atrás não existe ideia inovadora considerada benéfica e válida que não exponha esse princípio. Como cofundador do Movimento Libertologia, J. Marins propõe que o ser humano seja plenamente capaz de compreender que pode ser feliz e próspero, bastando, para isso, que dê o start, motivando seu cérebro. O resultado, conforme ensina na Ciência da Liberdade, será uma nova pessoa, eficazmente livre, sob todos os aspectos.




O professor J.Marins, que também é jornalista, escritor, ensaísta místico, sociólogo e Juiz Federal sustenta que a educação precisa passar por transformação para tornar a aprendizagem mais eficaz, por exemplo, sendo mais dinâmica, mais prática, reduzindo o tempo das aulas para que os alunos sejam capazes de manter a atenção.




Com experiência de mais de duas décadas em salas de aulas, treinando e capacitando nesse período milhares de pessoas, o professor, no entanto, adverte: “na educação ainda são consideradas válidas concepções equivocadas sobre o cérebro. Tudo está nele. Rigorosamente tudo. Do bios ao ethos, da chama à água, do desânimo ao entusiasmo , da desorganização à disciplina, da estafa ao vigor, do desejo ao resfatelamento, da dúvida à certeza do sucesso, e, especialmente, os mecanismos para tornar o indivíduo livre, feliz e próspero, plenamente capaz dele mesmo moldar o próprio futuro”.


Veja na próxima matéria a edição completa com a entrevista que J. Marins concedeu com exclusividade à Equipe Tipo, e Agora, para o Movimento Libertologia


54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page